segunda-feira, 14 de outubro de 2013

remix







(Allan Jonnes)



Você é mais bonita que a bolinha azul pequena
 que vem dentro do cigarro lucky strike 
 Mais bonita que uma girafa 
que um filhotinho de demônio da tasmânia 
 Você é mais bonita que todos os aviões da boeing 
e lembra mesmo é esse ultimo aí o 787 
que é levinho assim de fibra de carbono 
e cabe quase trezentos e cinquenta pessoas passageiras
Você é mais bonita que um jardim que plantaram 
num vasinho sanitário tamanho só para crianças


Mais bonita que a Ursula Andress... não não...
 a Ursola Andress é um pouquinho mais bonita que você 
e mesmo assim você é dezenove vezes mais bonita que a Ursula Andress

 O cara que descobriu o pré-sal tem inveja de mim porque eu descobri você 
O Niemayer apagaria o desenho de Brasília pra fazer de novo 
se ele tivesse visto o jeito dessa curva diferente que faz na ponta do seu dedo 
O Cristóvão colombo daria quinhentos índios 
pra ter descoberto você no lugar da republica dominicana

 Você é mais bonita que a bicicleta de marcha mais bonita que tiver em aracaju 
aqui não tem arara e o pessoal fica desenhando um monte de arara na parede 
se o pessoal te visse o pessoal ia querer ficar te desenhando

 Vê, você é mais bonita que a moça pra quem Ferreira Gullar 
escreveu o poema dele que eu roubei descarado que eu sou 
pra fazer esse 
mas eu só roubei porque eu sei que você é mais bonita 
Ele disse que a outra moça só não era mais bonita que a revolução cubana 
e eu não vi a revolução cubana 
e muito menos a outra moça, 
mas eu acho que você ia ser mais bonita 
mesmo se ela me aparecesse com um fuzil na mão 
e falasse "hay que endurecer corazon" 
 toda cheia de ternura

 Você é mais bonita que uma vândala black block 
mais bonita que uma pessoa colocando fogo numa coisa 
mais bonita que a própria coisa colocada fogo 
você é tão bonita quanto uma mulher passeando de um lado pro outro de uma avenida 
com um polvo cor de vermelho na cabeça



&*&*&*&*&*&*&*&*&*&*



Ao ouvir Allan Jones falando este poema na rua, fui pra casa e roubei pra mim. Ficou assim:




"ladrão descarado"

Izaura, vc sabe como eu sou né?
quando eu fico longe , queria tá perto.
quando to perto quero tá dentro,
quando to dentro não quero sair mais nunca...
te encho o saco
te encho de poemas,
mas devo confessar
que não escrevi nenhum,
roubei todos,
roubei daquele morador de rua
que dormia com um caderninho esmulambado ao lado,
pois é, aquele caderninho tava cheio de poesia,
embora não estivessem escritas,
elas estavam lá
e eu peguei todas pra mim,
pra mim não,
pra vc, pra te dar
e as outras eu roubei dos teus olhos,
da tua insistência em ter comigo uma vida só.
hoje não to roubando nada,
to inventando essas coisa aqui,
pensando no dia em que vc lambeu a minha orelha,
minha não, tua,
tua porque vc evitou que eu a arrancasse
naquele dia em que eu queria ser Vangógue...
cada pelo do meu bigode
também não é meu,
foi o gato da Alice que me deu,
pelo menos dessa vez não precisei roubar,
mas como vc tá vendo
sou uma fraude
um equívoco
engano da vida vã...
quase nada em mim é real
mas meu amor por vc é!
sem beijo roubado
sem poesia dos outros
sem bigode postiço,
vivo de brisa se vc me olha
vivo feliz se vc ma alisa.
 
set/13
 
 
 
 
 

4 comentários:

  1. Allan Jonnnes viro a minha mais recente referência poética.

    ResponderExcluir
  2. É tocante mesmo Dani, tem que ver o Allan Jones falando isso, é de ouvir de joelhos.

    ResponderExcluir