sexta-feira, 10 de agosto de 2012

"o que não pode ser."

 
 
 
 
o que não pode ser dito
nas fendas do tempo
desfaz-se aos poucos
o oco...

o laço mal feito
o peito enganado
o sentido arquivado 
a falta de gosto
o oposto...


o que não pode ser dito
a transparência envidraçada do peito
transmite em sons possíveis
ao olhar irresistível
do puro-objeto do falar...
o encantar.


a cama desarrumada
o copo vazio
a roupa suja
a cárie
o coma
o beijo negado
suores correntes
o esquecer...


o que não pode ser dito
nem pode ser escrito
nas entrelinhas de um samba
nunca se cala...

breque!
...
 
 
2012

2 comentários:

  1. Postei um link do seu blog em um dos meus:

    http://ospernaltas.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Mauro, que bom que tenha gostado.

    ResponderExcluir