quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Cortina




eu vi o monstro
que se esconde
nas frestas
que dorme
nas brenhas
que escala seus ares
na bruma
que abre os olhos
e vê cores
na espuma

eu vi o monstro
que não dorme
seus cílios
no vento e
agita as folhas
com sonhos

eu vi o monstro
e o monstro me viu
mas nenhum dos dois
pareceu preocupar-se
muito com isso...

PAR - PT
01.01.14


Ilustração: Eros Tânatos de Paulo Acácio Ramos



2 comentários:

  1. o monstro que se esconde nas frestas e que não dorme e o monstro sagrado da poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é o monstro... é o monstro... é o monstro!!!

      Excluir