quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

"da vida e de morte."


teus lábios ainda vermelhos
de sangue venoso
continuam desejando
o meu corpo mortal
e ficamos sentindo
o gosto amargoso
da vida, da morte
do corte e do sal...


e tuas mãos grossas
me afagando gostoso
até que chegue
ao orgasmo total
e ficamos pensando no
no jogo sinuoso
da vida, da morte
do corte e do sal...



é como se nosso leito
fosse parte integrante
de um grande hospital
de vida, de morte
de corte e de sal...



1984

Um comentário: